Holanda

/

Amsterdam

Vai um cafezinho?

Sempre transmitindo um espírito leve e gracioso, ela é a força locomotiva da mais antiga loja de cafés da Europa. Nos últimos 22 anos, precisamente às 09h da manhã, Marie Louise Velder abre religiosamente as portas de sua 't Zonnetje koffie thee en kruiden, numa das ruas mais vibrantes de Amsterdã, chamada Haarlemmerdijk. Com um baita sorriso no rosto, sincero e cheio de entusiasmo, ela recebe sua clientela - na maioria habitués - que confiam em seu expertise e na mais refinada curadoria de cafés e chás da cidade.

Ao entrarmos, uma vibe nostálgica nos transporta para o ano de 1642, quando clientes começaram a frequentar este endereço em busca de ervas, água e carvão - este último, para aquecer suas casas. A variedade de chás veio depois e junto das ervas eram entregues pelos barcos da extinta Companhia das Índias Holandesa (Dutch East India Company), que transportavam seus bens pelo rio Ij, do qual holandeses até hoje se orgulham. O movimento frenético das embarcações era contemplado por todos da Haarlemmerdijk, já que àquela época não havia casas do outro lado da rua. Deve ter sido impressionante admirar a chegada e saída desses comerciantes!

Desde então, tanta coisa mudou, não apenas nesta charmosa rua de Amsterdã, mas também na vida de Marie Louise. Esta senhora transmite a segurança de uma mulher independente e rapidamente pude notar a coragem que ela deve ter sentido quando decidiu recomeçar sua jornada. Antes de se aprofundar nos aromas da Indonésia, Brasil e Etiópia, Marie Louise se dedicou devotamente à Psicologia e ao trabalho social. "Quando eu tinha 48 anos, decidi interromper minha ocupação para começar minha própria loja de café. Trabalhei por quase 30 anos no sistema penitenciário. Eu não estava cansada, mas aquele trabalho me tirou muita energia".

Isso foi em 1999 e ela tinha acabado de se desligar daquele universo de confinamento para explorar, livremente, as ruas de Amsterdã, quando algo surpreendente lhe chamou atenção. Seja destino ou sorte, a verdade é que algumas coisas na vida estão premeditadas. Em seu primeiro dia sem emprego, ela ouviu de um amigo sobre um local histórico de cafés que estava à venda. Não teve dúvidas. Seguiu seu feeling e de cara viu o enorme potencial para fazer este business evoluir. Num piscar de olhos ela fechou o contrato de locação.

Ao longo das duas últimas décadas, Marie Louise criou um conceito de loja que agrada a gregos e troianos. Vale dizer que seu espírito inquieto contribuiu para este sucesso. Logo em que ela adquiriu o ponto teve a certeza de que as míseras seis variedades de café jamais satisfariam nem a ela e nem à sua clientela. Ela estava mais que certa. Especialmente quando levamos em conta a eterna paixão do holandês por café.

"O antigo dono era muito minimalista, mas eu sou diferente. Gosto de misturar, fazer essa bagunça que você vê nas prateleiras! É assim que as pessoas gostam: abarrotado de produtos. Isso dá vida ao ambiente!", exclama Marie Louise. E assim ela fez. Seu pequeno e aconchegante cantinho do café oferta um excelente potpourri de quase 30 tipos de grãos, dos melhores solos do mundo, além de ervas, doces, porcelana e, assim como ela garante "o melhor chá do mundo". Ora, um chá excepcional como esse tem um preço, claro, no entato, "é mais barato que uma garrafa de whisky de 100 Euros!", como ela mesma justifica de forma astuta. A propósito: o melhor café de Amsterdam - ou um dos melhores - também pode estar neste lugar!

Ao preservar tradição junto a um alto padrão de qualidade, este estabelecimento de alma autêntica consegue atrair uma clientela jovem, aberta a experimentar novos sabores e interessada na cultura do café. Para esses curiosos, Marie Louise oferece pequenos workshops sobre café nos quais ela combina teoria e prática para ensinar sobre sua história enquanto os novatos aprendem a refinar seu paladar.

Durante nossa deliciosa conversa, cercada pelas suas "queridas crianças"- como ela descreve gatos e cachorros resgatados -, Marie Louise não pôde esconder um sincero e profundo desejo de manter seu legado. "Você bem o sabe, sou uma senhorinha e gostaria que alguém continuasse este negócio. E como! Porém, pretendo trabalhar até o último dia da minha vida". Minha total admiração para esta corajosa e linda mulher!

Comentários

O comentário será moderado pelo admin antes de ser exibido
  • Diina
    Adorei muito interessante ,
  • Leandro Neves
    Que história bacana! Fiquei me imaginando lá...ou melhor,, imaginando meus filhos pequenos correndo atrás dos gatos, derrubando essas latinhas.....e eu lá, rindo e curtindo os sabores mais sensacionais do mundo.
  • Maria Sandra
    Adorei o artigo. Parabéns Malú por mais uma publicação de excelente nível. Deu até vontade de tomar um cafezinho que, por sinal,eu amooo. Quero conhecer um dia.Bjs.
  • Ana Paula Vargens
    Que vontade de tomar este café e de trocar uma dose de whisky por uma deste precioso chá! Amei!